Resenha da Bia: Pecadora de Nana Pauvolih


Olá Queridos Leitores ! Hoje é dia de resenha da 《Biblioteca da Bia》, e hoje teremos resenha da autora Nana Pauvolih .

SINOPSE: Todos nós éramos pecadores. Somente uma coisa diferenciava um pecador: as escolhas. Saber o certo e escolher seguir pelo caminho errado em vez de fazer o que era correto. Fechei os olhos. Apesar de tudo que tinha feito naquela noite, não me arrependi. Era pecado, era perdição, mas também era mais do que eu já tinha sonhado em ter. Entre a rígida criação religiosa e o desejo que sempre a consumiu, Isabel precisa se encontrar. Casada há quatro anos com Isaque, seu namorado de adolescência, a jovem sabe que a relação está longe de ser satisfatória. Mas é só quando Isaque fica amigo de Enrico, um publicitário solteiro e bem-sucedido, que a situação começa a ficar insustentável. Agnóstico, sem amarras e cheio de mulheres, Enrico é tudo o que Isabel acredita rejeitar, mas ela não consegue deixar de se sentir interessada pelas histórias que o marido conta dele. Para piorar, ela consegue um emprego na agência dele, e agora terá de passar os dias ao lado do homem que traz à tona seus sentimentos mais proibidos. Neste novo romance, Nana Pauvolih, uma das maiores autoras de romances eróticos do país, mostra que o certo nem sempre precisa ser aquilo que é imposto, e sim aquilo em que se acredita.

《RESENHA》: Quando li o nome do livro, assim como a sinopse, fiquei MEGA curiosa em ler, pois queria ler sobre a abordagem feita em relação à religião Cristã. Confesso que imaginei que a história seguiria um caminho muito diferente. Primeiro pelo tom inovador e ao mesmo tempo delicado, e principalmente RESPEITADOR para aqueles que seguem essa religião, pois falar em uma mesma narrativa sobre religião e sexo não é tarefa das mais simples. Mas ela conseguiu, e adianto que fez isso com maestria.

Isabel foi criada de maneira muito rígida, e totalmente fora de contexto REAL do que a bíblia realmente trás em seus livros. Filha de um pai pastor e totalmente equivocado quanto a sua própria fé, manteve sua família sob um jugo pesado e totalmente fora de uma realidade de viver “conforme a palavra” de Deus. O resultado disso foi a construção de uma família sem abertura para conversas e sem acolhimento para dúvidas ou diálogo.

Isabel era a mais nova das três irmãs, e uma espécie de misto das outras duas. Enquanto uma era a copia do pai, e levava uma vida equivocada quanto sua fé, a outra, Rebeca, era uma força da natureza, que foi contra as imposições da família e se rebelou, o que resultou na sua expulsão de casa após revelar uma gravidez precoce.

Seus pais, preocupados que Isabel seguiria o exemplo de sua irmã Rebeca, apressaram seu casamento com Isaque, namorado de Isabel e membro da Igreja de seu pai. Agora com 22 dois anos, casada há 4, Isabel começa a refletir sobre diversas questões e insatisfações da sua vida, principalmente no que envolve seu relacionamento com o marido.

Um casamento realizado por imposição dos pais de Isabel com um homem que Isabel claramente não ama, que acaba resultando em uma união infeliz, sem diálogo e totalmente insatisfatória para Isabel. Uma relação totalmente equivocada sobre o que a Bíblia diz em um relacionamento de casal, fortalecendo assim a necessidade de Isabel repensar suas escolhas, e a direção de sua vida. Quando Enrico surge na história, essa necessidade toma uma proporção que ela não imaginava.

Neste momento entra em cena o personagem de Enrico, bem sucedido, lindo, solteiro convicto, mantém com muita clareza seus desejos, seus objetivos, e faz de tudo para alcançar aquilo que quer. Entretanto toda essa convicção em ser solteiro, e curtir a vida cada dia com uma mulher diferente, no fundo esconde o desejo de encontrar alguém com quem possa compartilhar sua vida e seus sonhos, preenchendo o espaço vazio em seu coração.

A entrada de Enrico na vida de Isabel é como uma força da natureza, a atração entre os dois é imediata e avassaladora, mas colocada de lado quando descobre que ela é esposa de seu amigo. Ao mesmo tempo em que tenta lidar com esses sentimentos, que passam a ficar mais evidentes quando os dois começam a trabalhar no mesmo ambiente.

Este é um romance erótico e como tal, as cenas de sexo estão ali. Mas diferente de diversos livros no estilo, aqui a relação sexual não é o foco, mas sim um meio para um fim. 

Uma das maiores dúvidas que tive ao iniciar esta leitura, foi relacionada a como a autora iria conciliar a religião de Isabel e sua necessidade de mudança. Ela se voltaria contra Deus e contra a igreja? Deixaria de acreditar em tudo aquilo que a guiou durante sua existência? Abriria mão do amor por conta da culpa? E essa dúvida foi se dissolvendo durante a narrativa, e a cada página que eu virava mais percebia que Nana Pauvolih conseguiu sublimar todos os sentimentos ruins que haviam ali. Com muita sutileza e assertividade, transformou um romance erótico em um livro que fala sobre sexo e sobre Deus de maneira sensível.

Aqui não há vulgaridade, a relação sexual aqui não é usada como artifício para preencher espaços vazios na página.

Pecadora é uma história sobre amor, descoberta, perdão e aceitação. É um livro que prende o leitor com uma escrita fluida e envolvente, com diálogos que são ao mesmo tempo quentes e encantadores. É um livro que promete agradar aos fãs do gênero e que pode também servir como porta de entrada para aqueles leitores que não conhecem o trabalho da autora, mas que preferem iniciar com um erótico mais leve, por assim dizer. 

Livro: Pecadora
(Livro Único)
Autor: Nana Pauvolih
Gênero: Romance - Erótico
Editora: Clube Essência (Selo da Editora Planeta Brasil Livros)
Páginas: 384
Classificação: 
18a.
Nota: (4/5)

Conhecia o livro? O que achou? Deixei nos comentários sua opinião.

Sigam minhas redes sociais:



Share this:

JOIN CONVERSATION

    Blogger Comment

0 comentários:

Postar um comentário

São proibidas palavras impróprias ou xingamentos.

Sugestões, dúvidas, elogios e críticas construtivas são sempre bem vindos!

Obrigada pelo comentário!